keeping the vibe

> 15 DE AGO 2019

Se você gosta de musica eletrônica, especialmente deep ou tech house, com certeza já ouviu falar sobre Ashibah. Nascida em Copenhagen, a dinamarquesa atua no mercado fonográfico a muito tempo, e mais que um rosto delicado com traços marcantes (reflexos de sua personalidade forte com ascendência egípcia), a dj também possui voz suave, que está em grandes tracks que explodiram nos últimos tempos.

Ashibah na Av. Paulista, em SP

Ashibah na Av. Paulista, em SP

Acumula em sua carreira residências na Ministry of Sound, e na label Hed Kandi, ambos respeitados como referências globais da cena, além de ser uma compositora e produtora de talento nato, virtudes que a fizeram ser reconhecidas como uma das traduções sobre sensibilidade e personalidade em ambientes tão saturados. Antes de estourar na América do Sul, especialmente no Brasil, tocou por vários anos no Egito (nação de seus pais), e devido ao alto grau de exigência da artista, muito curiosa e perfeccionista desde pequena (ela iniciou sua carreira aos 7 anos de idade), figura em labels como a Bunny Tiger de Sharam Jey, Lou Lou Records; além do superhit “Miracle“, recentemente lançou “Gravity” com Betoko e Sharam Jey, “Make it Better” com o duo brazuca Dashdot e Maxximal, citando apenas alguns. Num cenário dominado por homens, nos enche de orgulho termos mulheres que, assim como eu, quebram estereótipos sem contudo perderem sua identidade, e através de sua singularidade, conseguem ter raízes locais, e racionalidade global.

A menos de um mês do Só Track Boa Festival, que reúne anualmente milhares de pessoas em São Paulo, sempre com ingressos esgotados (para adquirir o seu, clique aqui), conversamos com Ashiban,  sobre a cena, sua bem sucedida carreira, futuro, e claro, sua expectativa para o evento.

Quais os desafios para as mulheres dentro do segmento da música eletrônica?

Ashi: Eu tenho muito orgulho de poder representar as mulheres no palco toda vez que toco levando-se em conta as estatísticas atuais, que mostram que as mulheres representam apenas de 6 a 7% dos line ups de grandes festivais e clubes ao redor do mundo. Eu vejo cada vez mais mulheres maravilhosas e talentosas quebrando esse paradigma, e espero que, no futuro esse número possa ser mais equilibrado.

 Você acha que as mulheres tem um feeling especial para traduzir o que a galera da pista deseja?

Ashi: Sendo honesta, eu vejo homens e mulheres criando vibes incríveis nas pistas. Eu sempre admiro aquelas performances que entregam seu coração no palco. As pessoas conseguem sentir isso.

Como se manter inovativa e criativa?

Ashi: Olhando para o mercado e como ele funciona, mas sempre sendo verdadeiro ao seu próprio estilo. Hoje sinto que é importante criar e produzir suas músicas. Isso faz total diferença quando as pessoas sentem você e reconhecem através dos remixes que você toca, tracks originais, estilo musical, etc.

O que você gosta de escutar?

Ashi: Essa é uma pergunta dificil. Eu escuto de tudo um pouco, música eletronica até musica local, musicas do oriente médio ao pop, etc. Me  sinto sempre atraída por boas melodias e produções de qualidade – para mim isso faz ou quebra uma track.

51762703_3021060137919729_2972609846962028544_o

Como é a recepção pela galera brasileira?

Ashi: Bem, não é segredo pra ninguém que eu amo o Brasil. Eu tive o privilégio de poder viver e tocar em vários locais diferentes do mundo durante minha vida, mas nada se compara ao Brasil. E a galera brasileira, ah meu deus, a vibe, a energia e positividade são sem iguais no mundo.

Qual o melhor lugar do mundo para se fazer música e negócios?

Ashi: Quando se trata de música eletrônica, a América do Sul está em ascensão, por isso é um lugar muito interessante para se fazer negócios. Eu estou realmente gostando de criar música aqui. Mas o negócio da música é onde está o seu coração e eu trabalho com produtores talentosos de todo o mundo que me inspiram.

Onde você relaxa?

Ashi: Eu relaxo quando estou cercada pela natureza, então minha casa no sul do Brasil é perfeita. Mas, com certeza, também adoro passar tempo com minha família e amigos na Dinamarca e no Egito

Que tendências você vê para os próximos anos?

Ashi: O tech house está se tornando cada vez mais popular. Quando eu me refiro a tech house quero dizer graves bem delineados e graves crescentes.

Como se deu o surgimento de sua própria gravadora, e o que podemos esperar?

Ashi: Eu sempre quis ter minha própria gravadora. Então, quando conheci minha parceira Nikoline, que é uma talentosa compositora e uma assistente criativa, decidimos que era a hora certa. Começamos nosso selo “Heku Blues Records” juntas, com uma visão clara de criação de música eletrônica com som de qualidade e vocais talentosos. Agora temos uma forte equipe de produtores, compositores e vocalistas em todo o mundo, prontos para fazer qualquer tipo de produção eletrônica em nosso caminho. Neste momento, estamos trabalhando com alguns artistas incríveis, lançando faixas continuamente, mas sempre buscando novos talentos. Se alguém estiver interessado em nos enviar uma demonstração, não hesite: nikoline@hekublues.com. Em breve lançarei meu primeiro EP solo, e mal posso esperar para compartilhar com todos vocês!

27750146_2290938294265254_8946928679775375968_n

Qual a expectativa para o Só Track Boa Festival, em setembro?

Ashi: Será uma festa incrível! Estou muito ansiosa para tocar com outra grande e forte mulher, além de grande amiga Nora en Pure, que eu recentemente lancei a track “We Found Love”. Com certeza será uma festa cheia de AMOR.

(Vale lembrar que, até o momento, Ashibah e Nora são as únicas mulheres confirmadas na primeira fase do line up paulistano; MKLA que faz os vocais da track “Save me” ao lado de Vintage Culture fará uma participação especial). 

Deixe aquela mensagem especial para os seus fãs brasileiros

Ashi: Apenas mal posso esperar para ver seus lindos rostos dançando muito na pista! Muito obrigada pelo seu amor e apoio sempre – vocês são a razão para eu poder fazer o que eu amo. Sua energia me inspira e trabalhar duro todos os dias da minha vida.

Ashibah é presença confirmada na Só Track Boa Festival, que acontece no próximo dia 06 de setembro (sábado), no estádio do Canindé em São Paulo. Confira o line up revelado da primeira fase abaixo:

67811247_2552378998114294_800322724172922880_n

Categoria(s):

entrevistas

VEJA TAMBÉM:

Oliver Heldens, Moguai e Dirty South no feriado do LAROC

As três atrações juntas reúnem mais de 500 milhões de views no youtube e se apresentam no club de forma inédita. Os sets, curiosidades e ingressos você encontra no site.

Claptone faz sua estréia no Ame Club

O personagem enigmático por trás da máscara, globalmente conhecido pelo tech-house de primeira, faz seu debut dia 12 de outubro em Valinhos.

MKLA, a voz que seduziu o deephouse brazuca em entrevista exclusiva

A cantora que tem duas apresentações previstas para o Só Track Boa Festival em SP nos conta sobre sua carreira, e como a arte salvou e mudou sua vida.
COMPARTILHAR > COMENTAR >

CONFIRA TAMBÉM...