keeping the vibe

> 26 DE FEV 2016

 

Nascido com o nome Nick Rotteveel em 6 de janeiro de 89, na cidade de Amerongen na Holanda, o capricorniano Nicky Romero despontou para a cena eletrônica com o mesmo primor que a Tomorrowland teve em termos de sucesso ao longo de 12 anos de existência.

Seu talento para a produção musical atraiu a atenção de grandes labels no segmento, como a Spinnin’, Fly Eye, Toolroom e a Flamingo Recordings. Acreditando sempre em seu feeling para as tracks que criava, uma mistura de acid, electro e progressive house, conquistou o mundo com o bootleg de “When Love Takes Over” de David Guetta (e posteriormente trabalharam em muitos projetos juntos, incluindo “Metropolis” e “Wild One Two“).

 

Nicky-RomeroO cabeça da label “Protocol” nunca pára: seu programa de rádio semanal “Protocol Radio” é transmitido em mais de 60 estações de rádio FM e tem mais de 40 milhões de ouvintes; foi o primeiro DJ a tocar com o “Google Glass” (espécie de óculos que possibilita a interação em realidade aumentada, tira fotos a partir de comandos de voz, envia mensagens); é presença garantida nos melhores e maiores festivais do planeta como a Tomorrowland belga, brasileira, o Coachella, Sensation White, Ultra Music Festival, Eletric Daisy Carnival; mesmo sendo um fenômeno como DJ é gente como a gente, e revelou a alguns meses atrás sofrer com ansiedade; o autor de “Toulouse“, “Lighthouse“,”I could be the one“, “Like Home” (sim, das irmãs Nervo) e da sua fresquinha “Future Funk” em colaboração com Nile Rodgers deu uma entrevista exclusiva para o Plugtronic, e num bate papo descontraído celebra o país da música eletrônica: “O Brasil é um país incrível!”

1. Nicky, você nasceu no mesmo país de gênios da cena eletrônica. Conte-nos um pouco sobre os seus influenciadores do gênero, que são os ídolos de Nick Rotteveel, e como eles contribuíram para você se tornar o DJ que você é agora.
Quando eu comecei eu tive a sorte de poder contar com a ótica de Fedde Le Grand, que me ensinou muito. E, claro, David Guetta, que ainda é um grande mentor para mim e me ajudou no início da minha carreira. Eu também tive a sorte de entrar no estúdio com um dos meus ídolos, Nile Rodgers. Acabamos de terminar a nossa colaboração, que será lançado em breve e eu não posso esperar para que todos possam ouvi-lo.

(A colaboração pela qual Nicky se refere acabou de sair: “Future Funk” vem com fortes influências disco de Nile, combinadas em acordes de guitarra, vocais masculinos e batidas que fazem um mix da cultura dance e pop. O single faz parte da “Nicky Romero Trilogy“, em que, a parte II é uma paródia da wall street dos anos 80 com seus economistas jogando ao redor de cenas do mundo de sexo, drogas e rock n roll.

A parte I da trilogia refere-se á deliciosa “Lighthouse” lançada a pouco mais de 3 meses, e você confere o vídeo clicando aqui. A parte III promete ser lançada em breve).

2. Qual é o seu ponto de vista sobre o futuro EDM? Você acha que as pessoas não estão sendo inovadoras e estão saturando as velhas fórmulas para ter uma boa recepção pelo público? O que é essencial para ter sucesso na carreira de DJ?
De forma alguma, penso que à medida que mais e mais pessoas estão se tornando conscientes e envolvidas na música eletrônica, a música está evoluindo. Com o boom na Ásia e América do Sul, os artistas provenientes dessas regiões estão trazendo influências de sua cultura e desenvolvimento de novos sub-gêneros inteiros que todos nós podemos nos inspirar. Eu acho que para ser bem sucedido você tem que ser receptivo e aberto às possibilidades e sempre tentar estar um passo à frente.

Nicky e as irmãs NERVO

Nicky e as irmãs NERVO

3. Você é DJ, produtor, tem a sua própria gravadora, [a Protocol Recordings] e  fez uma participação no mundo da moda, com a marca”Vive L’Homme”. Que outras colaborações que você gostaria de fazer? Se você tivesse a oportunidade de fazer música com ninguém (vivo ou morto), quem poderia ser e por quê?
Tem sido um ano movimentado! Há tantos grandes artistas, mas no momento eu teria que dizer Coldplay ou Rihanna.

4. Você está sempre com a sua agenda cheia, e mesmo jovem, é um dos DJs mais conhecidos do mundo; toca nos maiores festivais do planeta e as pessoas sempre esperam muito de suas performances. Como você lida com a pressão, e como ser criativo com uma vida que nunca pára como a sua?
Isso pode definitivamente ser difícil quando você está na estrada o tempo todo e acho que houve momentos em que eu tenho notado que a minha criatividade foi abalada, que é algo que eu tenho abertura para falar a respeito e tenho abordado ao longo do último ano . É importante ter uma equipe muito boa em torno de você, algo que tenho muita sorte e sou abençoado em poder contar com uma, que sempre têm os melhores interesses em seus corações.

5. O Brasil esta sendo conhecido ao redor  do mundo por ter uma recepção muito boa junto a cena eletrônica, e você sempre vêm para cá [ele veio em outubro do ano passado e fez uma apresentação surpreendente]. Se você tivesse mais tempo livre aqui, o que você vai gostaria de fazer? Você tem alguma memoria especial do nosso país?
O Brasil é um país tão incrível com uma cultura vibrante e belas paisagens – há muito para se absorver, aprender e ser influenciado! Eu adoraria vir para o carnaval, ouvi coisas surpreendentes sobre ele! Quanto a um momento especial, posso falar do meu set em Tomorrowland, foi muito bom e verdadeiramente especial para mim poder fazer parte de algo grandioso como isso.

6. Eu li que você é apaixonado por videogames (tanto que você teve o seu próprio jogo). Isso é verdade? Quais são seus jogos favoritos, e se você pudesse fazer uma faixa para algum jogo, qual seria? Que item “tecnológico” você não consegue viver sem?
Sim, é verdade! Nós sempre tínhamos falado sobre a idéia de fazer um jogo de vídeo game e parecia que uma campanha perfeita para a votação na DJ Mag do ano passado. No ano retrasado criamos a hashtag #CallNicky por isso desta vez decidimos fazer #PlayNicky. Nós também, lançamos a versão completa para que você possa jogar em seu celular, já disponível na Apple Store e Google Play Store. Fora isso, o meu jogo favorito teria que ser FIFA, até tivemos ele no backstage do meu show em Amsterdam, e todo mundo estava querendo jogar, foi muito divertido. Talvez seria uma track para o FIFA, haha! Eu não poderia viver sem meu celular ou meu laptop.

12108976_1070600326318034_168944004212774698_n

*Os ingressos para a Tomorrowland Brasil ainda estão disponíveis, e podem ser adquiridos através do site www.tomorrowlandbrasil.com

 

Categoria(s):

entrevistas

VEJA TAMBÉM:

Entrevista com Romeo Blanco, headliner do Tomorrowland Brasil

  Romeo Blanco pode parecer jovem na aparência, mas ao assumir as pick-ups torna-se imbatível quando o assunto é música eletrônica. Presença garantida nas melhores [...]

Tomorrowland Brasil - Line Up Completo

Saiu hoje o line up completo da Tomorrowland Brasil, festival de música eletrônica que acontece entre os dias 21 e 23 de abril no Parque Maeda em Itu. Confira abaixo quem [...]

Fedde LeGrand lança o álbum "Something Real"

Antecipando-se em alguns meses, Fedde LeGrand lança seu novo album “Something Real” com quatorze faixas, pela Ultra Music/ Darklight Records. A Billboard da MTV [...]
COMPARTILHAR > COMENTAR >

CONFIRA TAMBÉM...